12 outubro 2010

claridade que fere


Há coisas das quais eu não prescindo. Os meus óculos são um acessório obrigatório. Há quem lhes chame óculos de sol. Eu, como os uso sempre, faça chuva ou faça sol, prefiro chamá-los de óculos do dia. Esta claridade dos dias chuvosos é terrível.

Típica perguntinha quando entro no elevador [que é panorâmico]:

Eles: Hoje não está sol, porque é que anda sempre com isso? (acompanhada devidamente pelo nariz torcido)

Eu: Estes não são de sol, são "especial luz intensa". Porque é de dia, ora.  
     «cum catano e mais-pro-raio das perguntinhas de elevador logo pela manhã.»

3 comentários:

Pedro disse...

Efectivamente também lhes chamo óculos de sol ainda que naturalmente compreenda que não são usados apenas quando está sol!

P.

Alexandra disse...

Irrita-me as pessoas que querem saber aquilo que não lhes diz respeito, e se quiseres andar de óculos escuros à noite? Eu respondia logo: "É claro que está sol, se não estivesse sol era de noite!" Dah!!!

Cláudia L. disse...

Eh eh! :)