30 janeiro 2011

sobre o workshop de chá


Sobre o Workshop de Chá a que fui esta tarde, devo dizer-vos que aprendi muitas coisas. Coisas que eu achava que já sabia e que afinal estava bem enganadinha. Vim de lá a respeitar ainda mais esta que é a bebida mais bebida do mundo. O workshop foi no Tivoli Lisboa, com o tea sommelier Luís Mendonça de Carvalho e terminou em beleza com o Lanche à Portuguesa.

Aqui ficam algumas curiosidades que registei:

- beber chá é a forma mais segura de se beber água
- a China e a Índia são os que mais produzem
- a Turquia também é grande produtora mas quase tudo para consumo interno
- a planta do chá é a camellia sinensis, vulgarmente conhecida por chazeiro
- só os botões terminais da planta devem ser aproveitados para fazer o chá
- regra geral, são os chás da China os de melhor qualidade
- são normalmente as mulheres que colhem as plantas (mão de obra mais barata e maior sensibilidade no manuseamento)
- é um trabalho perigoso já que existem inúmeras serpentes venenosas junto à planta do chá
- existem mais de dez mil tipos de chá
- o chá de rooibos não é do chazeiro mas sim uma planta aromática como a tília, por ex.


Durante o workshop falou-se do Chá Verde, Chá Amarelo, Chá Azul, Chá Vermelho, Chá Branco e Chá Preto. Todos eles são provenientes da mesma planta e o que os difere é o tipo de processamento. Algumas curiosidades:

Verde
- é o mais consumido do mundo
- o melhor é o Lung Ching
- a infusão deve ser feita com água a 80ºC (nunca a ferver) e deve repousar apenas 2 minutos

Branco
- é o mais antioxidante
- só existe quando há frio e nevoeiro, já que a folha ganha pêlos brancos como forma de proteção
- o tempo de infusão já pode ser até 10 minutos

Azul ou Oonlong
- o melhor é o Tung Ting
- diz-se serem os mais benéficos para a saúde

Preto
- o único em que pode ser usada água a 100ºC sendo que o tempo de infusão não deve exceder os 3 minutos
- o darjeeling first flush é considerado o champanhe dos chás

Camellia Sinensis


Regras de oiro
- preferir sempre o chá puro aos chás aromatizados
- o chá em saquetas é, por norma, menos bom do que o chá em folhas
- comprar pequenas quantidades de chá, já que a validade varia entre 1 e 3 anos
- para fazer chá mais forte, deve optar-se por colocar mais quantidade de chá e não deixar mais tempo em infusão
- deve iniciar-se o dia com os chás mais fortes (preto) e terminar o dia com os mais claros (branco)
- não se deve beber mais do que 2 ou 3 chávenas de chá por dia
- o chá deve ser servido em recipientes de boca estreita, para que o aroma não se dissipe ou então usar uma tampa

O tea tasting foi com 6 variedades de chá: Lung Ching, Sencha, Tung Ting, Ceylon Uva, Darjeeling First FlushKeemun, sendo que este último é aquele que é servido quando a rainha de Inglaterra faz anos e o que acompanhou o lanche no lobby do hotel. O meu preferido: o tung ting.

Como podem ver, fartei-me de aprender coisas novas e até aprendi uma palavra nova: decocção. Nunca tinha ouvido falar nisto, ou melhor, nunca tinha ouvido com este nome. 

De lá trouxe ainda três presentes: o livro Tea at Fortnum&Mason, chá TWG Place Vendome e um coador TWG.


Gostei muito e gostei mais ainda da conjugação do workshop de chá com o lanche à portuguesa. Foi na mouche. Comigo, tive a minha mãe que sabia quase tanto como tea sommelier. :)

3 comentários:

margarida disse...

Não se deve beber mais de 3 chávenas por dia? Então estou desgraçada.. quando estudava eram litradas de chá!
Tenho que experimentar esses que dizem se os melhores. Beijinhos

Cláudia L. disse...

Pois, tu e eu, que bebo chá como quem bebe água.
A ideia de não beber mais do que 3 chávenas é para não criar vício. Como em tudo, não é!

Alexandra disse...

Eu gostei de saber dos tempos de infusão, achei interessante. Se pudesse também tinha feito esse workshop.