31 julho 2014

sardines - rain boots


"The principal concept of this project is the water. Thus, it is done research in a quotidian object such as the water bottles. It is interesting to see how its volume is being reduced about 1/5 when bottles are useless. Therefore, continuing with this idea, it comes to my mind to make a rain boots able to be folded once they are not being used" - Lexus Design Award 2014


#mirrorsme... top!

Vale a pena espreitar este #mirrorsme.



bmw m4


Nisto dos carros {e não só}, sou muita Maria Rapaz... não tenho cura. Adorava ser o copiloto disto! Para piloto não dava... não tenho mãozinhas. 

ai os paraguaios


Estes paraguaios são coisa para me viciar. No fim de semana comi uns quatro assim de rajada. Voltei a comprar no supermercado mas não são tão bons. Aqueles quatro do fim de semana é que foram... comprados à beira da estrada, num mini mercado sincero, numa terra tão reconfortante. Quero lá voltar e não é só pelos paraguaios. Mas também.

a morte devagar


«Morre lentamente quem não troca de ideias, não troca de discurso, evita as próprias contradições.Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e as mesmas compras no supermercado. Quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo para quem não conhece.Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru e seu parceiro diário. Muitos não podem comprar um livro ou uma entrada de cinema, mas muitos podem, e ainda assim alienam-se diante de um tubo de imagens que traz informação e entretenimento, mas que não deveria, mesmo com apenas 14 polegadas, ocupar tanto espaço em uma vida.Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto no branco e os pingos nos is a um turbilhão de emoções indomáveis, justamente as que resgatam brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.Morre lentamente quem não viaja quem não lê quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.Morre lentamente quem destrói seu amor-próprio. Pode ser depressão, que é doença séria e requer ajuda profissional. Então fenece a cada dia quem não se deixa ajudar.Morre lentamente quem não trabalha e quem não estuda, e na maioria das vezes isso não é opção e, sim, destino: então um governo omisso pode matar lentamente uma boa parcela da população.Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto que desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.Morre muita gente lentamente, e esta é a morte mais ingrata e traiçoeira, pois quando ela se aproxima de verdade, aí já estamos muito destreinados para percorrer o pouco tempo restante. Que amanhã, portanto, demore muito para ser o nosso dia. Já que não podemos evitar um final repentino, que ao menos evitemos a morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um esforço bem maior do que simplesmente respirar.»
Martha Medeiros

Vi no às nove e trouxe para aqui, porque é mesmo isto. Ler e fazer uma viagem cá dentro. Faz falta a toda a gente. 

30 julho 2014

jeito com as palavras

moranguinhos-aranha


Deve dar uma trabalheira desgraçada mas lá que é engraçado é. Daqui.

the swings

”Cooperation emerges when the behaviour of each individual 
depends on the decisions of the rest of the group: 
it’s a game where, from the start, you need to adjust to the actions of others.”




The Swings, uma ideia tirada do original 21 Balançoires. Felizes daqueles que têm boas ideias... Adoro!

29 julho 2014

ciclotte

Como ter um aparelho de ginástica com pinta, que fique bem em qualquer sítio e que até dá para enfeitar? 


É desembolsar 8.565,00 Euros e ter um Ciclotte Bicycle. Fácil.

o branco inspira-me


 

portugal: discover the old world made new again


Que maravilha de capa!

dormir com os pais

Não sei se algum dia serei mãe... mas se for, se tiver essa felicidade, estou em crer que tentarei ser assim desta forma. Faz-me sentido, pelo menos na teoria.

Existe hoje alguma controvérsia sobre se os filhos devem dormir na cama dos pais, pelo menos durante os primeiros meses de vida. Podemos afirmar que existem vários tipos de “parentalidade nocturna”: alguns progenitores são rigorosos em proibir uma noite inteira na sua cama, outros transformam-na numa verdadeira “cama familiar”, em que uma ou duas crianças se acomodam, às vezes com manifesta falta de espaço, no leito conjugal.
 

28 julho 2014

#desculpashámuitas do mês oito

Olha aí o agosto a vir...


... já que vou entrar de férias, vou tentar ser certinha. Tenho sido uma baldas de meia tigela... buuuuh shame on me.

anúncios censurados... por estupidez!


O pórtuga é mesmo muita tacanho... mas porque é que censuram este anúncio da Libidium Fast com o Paulo Futre? A ideia é boa, até tem graça, está bem filmado e a música está bem metida. Trata-se de um estimulante sexual masculino... queriam o quê? Deixam-se de merdas e purismos que de santa a nossa tv tem zero. Palhaçada! 

o anúncio anterior era esta coisa fraquíssima! 

é como um passarinho


Amar é isto. Para o bem e para o mal. Para o bem porque é estar deslumbrado, é adorar aquilo que temos na mão {ou no dedo}, é estarmos completamente focados, sem conseguir sequer desviar o olhar disto que temos quase na ponta do nariz, é querermos cuidar, a todo o custo e com todo o empenho, é mimar, fazer festinhas, falar baixinho com uma voz acolhedora, é ser cuidadoso para não magoar, não apertar, é dedicarmo-nos inteiramente a isto {a este amor} que depende muito de nós. Para o mal porque quando deixamos de fazer isto, quando nos distraímos, quando deixamos de cuidar o nosso passarinho vai embora... Amar é mesmo isto

25 julho 2014

24 julho 2014

ROS Lisbon


Ando fisgada nestas Carminho Gold da ROS Lisbon. Preciso de umas luvinhas e, ao que parece, as sandalocas da Ana prometem maravilhas... mi aguarde! :)

oh alex, canta lá baixinho




Ai que este Alex Turner cantava-me bem ao ouvido, assim baixinho, afinadinho... adoro esta voz. ♪♪♪

chapéu... opinião precisa-se


Nas férias {e nos fins-de-semana de praia} tenho que me conter com o sol e para isso tenho que comprar um chapéu giro, com pinta e que não se estrague com facilidade... ah e barato, claro. Alguma sugestão?

s4 homeland a 5/10

23 julho 2014

abre aí, 'tou à porta


Sim, isto acontece. Sim, isto é estúpido. 

na senda das putas malditas


Vinda da dermatologista, venho também um pouco mais pobre na carteira. Não gosto nada de aviar receitas quando venho de uma consulta de dermatologia. Primeiro porque raramente são comparticipadas e depois porque a dermocosmética é sempre a roçar a roubalheira. Posto isto, trago uma embalagem de Actidox, um antibiótico para tomar durante 8 dias, evitando a exposição direta ao sol {convém porque vou de férias dentro de semana e meia}. Se até depois das férias a coisa não melhorar, tomo os restantes comprimidos. Em paralelo, tenho duas bisnagas de Zindaclin para aplicar à noite na cara, costas e peito para ver se as putas começam a sarar mais à séria. Como se não bastasse, veio também um frasco de Exfoliac Loção para aplicar depois da banhoca nas costas e peito. Levei comigo a minha cangalhada de cremes que comprei na Kiehl's e estão aprovadíssimos pela sô'tora. Posso continuar a usar o Ultra Facial Oil-Free Cleanser e o Ultra Facial Oil-Free Toner {que se juntaram aos outros}. Para além disso, posso continuar a usar o Pschitt Magique da Garancia. E pronto, umas picas de B12 desgraçadas no rabo dão direito a esta parafernália de coisas... 

salvem o neeeeemo!


Assinar a petição aqui.

you just get better


«Existe uma força mais poderosa do que a electricidade, o vapor e a energia atómica: a vontade. [albert einstein]
Ser cada dia mais, fazer cada dia melhor, ultrapassar medos, (re)definir metas e objetivos de vida... E sempre, com a força impulsionadora da vontade, acreditar que cada dia é uma nova oportunidade, aceitar que mesmo que as coisas não sejam mais fáceis, mesmo que nem sempre corram exatamente como gostaríamos, a verdade é que quando temos vontade de ultrapassar estes contratempos nós crescemos, evoluímos, melhoramos ... ficamos melhores e mais fortes e consequentemente mais felizes ♥»

Da querida nobody listening, que acertou naquilo que sinto. 

22 julho 2014

ideias iluminadas


Quem foi que disse que o simples não pode ter graça ou que não é nada de especial? Uhmm...

camisa de ganga


Ando com vontade de comprar uma destas agora para as noites mais frescas do verão.

17 julho 2014

do it


{estou de poucas palavras mas há imagens que me inspiram... nem preciso de escrever}

16 julho 2014

few times


olha olha quem é ela!

Ao que parece as minhas preces foram ouvidas e olhem só quem vai dar a costa... 


Não sei bem se é à costa portuguesa mas estava capaz de ir ali a UK só para a ver. Se souberem de datas, mi avisem! Entretanto vem aí o novo álbum, um tal de '25'.

15 julho 2014

reuniões que me esgotam


Não gosto da sensação de sair de uma reunião absolutamente esgotada da carola. Parece que me espremeram até ao osso. Que me levaram toda a energia que ainda corria nas minhas veias. Sinto os neurónios a latejar. Até a boca me dói, de falar. Falar e pensar ao mesmo tempo. Preciso messsssmo de férias... se preciso! Já não falta tudo. 

um dia vou...


... acordar e tomar um pequeno almoço com esta vista.

14 julho 2014

verdades


Pois não. E é pena. A capacidade de encaixe é das melhores características que podemos ter. Não se pede que tenhamos sempre. Mas era bom termos mais vezes. Para o bem de todos.

header com sabor a verão

 

Eis o banner de verão. Cheio de gelados que é a minha perdição. E cores frescas que adoro. Só me chateia o facto do fundo ser branco e depois fica bronzeado quando o ponho no header. Se alguém souber o porquê, é favor dar aqui uma ajudinha. 
inspiração | we blog you

férias... é isso mesmo


Estou a precisar de não ter horários... nem tarefas obrigatórias.

deja-fu da borbulhanga


Pois é, as gajas estão para ficar e alastrar. Ando chateada com isto das borbulhangas que nunca tive na vida. Por muito cuidado que tenha, acho que tenho que as combater com mais power. Tenho consulta de dermatologia para a semana porque isto com creminhos fofinhos não vai lá... que merda isto!

09 julho 2014

08 julho 2014

a culpa é das estrelas

«A vida não precisa de ser perfeita
Para o amor ser extraordinário.»


Quero ir ver este filme... já sei que vou chorar que nem uma maria maluca mas ainda assim quero ir ver. Acho que vou adorar aqueles diálogos. 

07 julho 2014

adele ao vivo... qdo?


Não há por aí nenhuma alminha informada que saiba quando é que esta senhora volta aos palcos...?

o que mais se vê


Adorei esta imagem! Ah ah ah :)

mood do dia


Pensamento positivo... sempre. Para tudo na vida.

as teias são fortes


Aborrece-me lavar o meu carro e como tal nem sempre anda a brilhar. Não tenho cogumelos nos tapetes mas tenho uma teia de arranha que habita no meu retrovisor há vários dias. Mesmo que lave o carro a gaja teima em não abandonar o espelho. Deve ser uma espaço muito agradável... só pode! 

04 julho 2014

bom fim de semana!


boas conversas


Cada vez acredito mais nisto... uma boa conversa com a pessoa certa e sem estarmos à espera é das melhores sensações que existem. Cada vez dou mais valor a isto. E cada vez é mais raro de encontrar. Ainda assim tenho tido sorte...

ter muito olho pra coisa


Só alguém com muito jeito e com muito olho para a coisa vê isto e não tem outro remédio se não fotografar. O Marco é assim... tem mesmo olho e jeito pra coisa. Bendita a hora em que o descobri! You're the best...

03 julho 2014

uma espécie de mantra


imagem | fotos de rua

é horrível... é horroroso

Sobre aquela coisa terrível que está a acontecer com a Judite de Sousa e com todas as pessoas próximas do rapaz que se foi. É absolutamente horroroso imaginar o que está a sentir esta mãe ao escrever estas palavras: 

Meu Deus e meu Pai
“Desfeito em átomos de água, partiu hoje para o teu infinito o filho que me deste.
Gerei-o com amor, criei-o com carinho e eduquei-o o melhor que soube. Foi meu companheiro e meu ânimo nas muitas tempestades que tenho atravessado.
Hoje não tenho nada.
O muito que tinha foi para junto de ti.
A sua alma de menino e o que restou do seu corpo de anjo também já foi desfeito em fumo.
Estou só.
Terrivelmente só.
Só como há séculos, quando a tua mãe, nossa Senhora, te acolheu no regaço depois de te despregarem da cruz no calvário.
Eu agora nada tenho.
Nas distorcidas imagens que os meus olhos rasos de lágrimas salgadas e já secas, vejo nitidamente, o teu rosto misericordioso.
No plano infinito da eternidade já está o meu menino. Tapa-o com o teu manto divino que as noites são frias para lá do Universo, ele é um bom menino.
O meu menino!
E se vires que pode merecer alguma coisa da dor desta perda sem remédio, rogo-te, meu Pai, que pronto me leves a vê-lo, que nestes dias as saudades apertam mais este meu coração trespassado pela dor.
Eu só fui mãe deste filho.
Hoje, já não sou mais mãe de ninguém.”

(Judite de Sousa)

Poxa, que isto é duro...

para pensar

«Quando há muito para fazer, que é sempre, o melhor é fazer como se nada houvesse para fazer e deixar tudo para o pouco tempo – que infelizmente tem de ser medido – que resta para fazê-lo.

Nos dias de maior trabalho, permita-se o maior luxo. Não depois, mas antes. Ou melhor: antes para quem sente que roubou um pecado e tem de pagá-lo e depois para quem sente que merece uma recompensa por ter trabalhado tanto.

Os seres humanos dividem-se entre os castigadores e os recompensadores. Talvez os primeiros sejam mais judeus e católicos e os segundos mais islâmicos e protestantes.

Para os castigadores o trabalho é o preço que se paga pelo prazer, pelo adiamento, pelo facto de não ter investido o tempo bastante para tentar urdir um resultado perfeito.

Para os recompensadores primeiro trabalha-se e depois celebra-se o ter trabalhado.

Só agora me ocorre, tarde na vida, que ambas as atitudes são oprimentes, tornando-nos em porquinhos-da-índia que comem conforme põem a roda que está na jaula em movimento.

É um erro equiparar o trabalho ao prazer, seja anterior ou posterior. O trabalho é sempre um sofrimento, um esforço, uma coisa que, tal como o Bartleby de Melville, se preferia não fazer.

O segredo dos dias é dividir o tempo entre aquele que nós queremos ocupar e aquele que outros querem, por interesse ou amizade, que nós ocupemos.

É sempre melhor fugir e, depois, pagar o preço de fugir, que é sempre mais barato do que o custo de ficar. Ou não.»

O Segredo dos Dias - Miguel Esteves Cardoso

02 julho 2014

com os amigos


E no seguimento disto, numa noite quente de verão, lá fora num jardim...era assim que eu gostaria de receber os meus amigos, com boa comida, boa bebida, boa música e boa conversa. 

suave, fresco e limpo


Tivesse eu uma casa de campo ou até de praia, assim uma bem simples, quase casinha de bonecas, era mais ou menos neste mood que me imagino a viver. Cores suaves mas frescas e limpas, muita madeira porque me dá conforto e me sabe a lar e este ar meio rústico. Com os anos a passarem por mim começo a gostar mais disto do que do modernaço. 

de mim para ti, blogue meu


Escrever. Costuma fazer-me bem escrever aqui. Ajuda-me a organizar as ideias. Leio-me e isso clarifica-me caminhos. Conto aqui a história dos últimos anos. 7. Mas ultimamente tenho escrito muito, mais ainda talvez... mas só para mim. Tenho escrito em privado, só para os meus olhos, só para a minha cabeça e só para a minha interpretação. Tenho precisado de me ouvir, de me ler e de me entender. És, desde 2007, o meu diário pessoal onde quase diariamente escrevo aquilo que me vai na alma. Sabes que não te largo por nada neste mundo e que descobri em ti um espaço que adoro. Tenho orgulho naquilo que nos tornaste. Orgulho na forma como fomos crescendo e partilhando o nosso dia-a-dia. Não te deixo mas não estranhes que, por enquanto, te escreva menos sobre mim e mais sobre as banalidades do quotidiano. Faz parte desta fase em que estou. Mas estou cá.